9/21/2013

Saúde começa hoje a utilizar dança do ventre no tratamento do câncer de mama em Imperatriz.





A Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), lança neste sábado (21) o projeto “De peito aberto” com o objetivo de recuperar a autoestima de mulheres em tratamento de câncer de mama. A solenidade que irá apresentar a dança do ventre como modalidade no tratamento da doença, será realizada às 08h no espaço da Academia da Saúde da Avenida Beira Rio. 

A iniciativa, coordenada pelo Programa Saúde da Mulher, vinculado ao o Departamento de Atenção Básica, será desenvolvida em parceria com o coreógrafo e Professor Flávio Amoedo.

O professor que ministrará as aulas voluntariamente afirma que aceitou esta parceira com muita satisfação. “É um grande prazer contribuir para recuperação dessas mulheres maravilhosas e guerreiras através de uma arte à qual dediquei parte da minha vida. Ver que a dança do ventre pode ajudar na recuperação da saúde e da auto estima dessas pacientes, é muito gratificante”, hesita Flávio Amoedo.


A Secretária Municipal de Saúde, Conceição Madeira, ressalta que para a mulher, a dança do ventre traz inúmeros benefícios, tanto do ponto de vista corporal, estético, quanto psicológico. “Por ser essencialmente feminino, esse estilo de dança trabalha com o corpo da mulher como um todo, e o foco da doença acaba ficando em segundo plano”.

De acordo com Anderson Nascimento, coordenador da Atenção Básica Municipal, antes de começar as aulas, as alunas passarão por uma avaliação com uma equipe multiprofissional, composta por fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo e mastologista. Ele informa que as aulas acontecerão todos os sábados na Academia da Saúde, localizada na Avenida Beira Rio. E que as Interessadas em participar, deverão procurar a médica Graças Dantas, no Departamento de Atenção Básica, localizado na Avenida Getúlio Vargas – Centro.

Sobre essa nova modalidade de tratamento

  Segundo pesquisa realizada por profissionais da Unesp, em parceria com a Famesp, fundação médica que apoia os serviços de saúde, esse "desvio" de olhar tem aumentado a autoestima das pacientes e refletido diretamente na imunidade delas. Um dos objetivos é fazer a mulher lembrar, que além da mama, tem o resto do corpo, tendo em vista que dança do ventre é uma dança feminina e por ser uma dança que trabalha a divisão do corpo, as mulheres precisam se tocar, conhecer cada uma das partes do corpo, dessa forma a atenção delas se volta para outras partes e não fica só focada na mama.

Para o médico responsável pelo setor que trata o câncer de mama no Hospital das Clínicas de Botucatu-SP, a terapia da dança não ajuda só na autoestima, mas, o tratamento da paciente também melhora. “O tratamento não pode levar só em conta o câncer, tem que ser avaliada a parte psicológica, que estando bem ajuda no aumento da imunidade e em uma melhor maneira de se combater esse câncer que ela está enfrentando”, ressalta o mastologista José Ricardo Gonçalves.      
[Maria Almeida – ASCOM]