9/20/2013

Vereador Rildo Amaral deve deixar o PDT. O SOLIDARIEDADE SERIA O DESTINO DO PARLAMENTAR.




Visivelmente insatisfeito com seu atual partido, PDT, o vereador Rildo Amaral ensaia já há algum tempo sua saída do partido.  Pelo que se sabe ele ainda não saiu por conta dos impedimentos legais

Uma das saídas legais, na qual ficaria fora do alvo de uma possível ação  de perda de mandato, seria se  filiar a um partido que esteja nascendo. Informalmente o parlamentar declarou a intenção de procurar abrigo no  nascente SOLIDARIEDADE inspirado pela FORÇA SINDICAL, uma das mais fortes centrais sindicais do País.

Rildo estaria a esperar o partido ter deferido o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)   para formalizar sua saída do PDT.

TSE adia análise do registro de dois partidos

O julgamento do registro dos novos partidos PROS (Partido Republicano da Ordem Social) e Partido Solidariedade foi adiado. Eles estavam na pauta do Tribunal Superior Eleitoral desta quinta-feira (19/9), mas pedidos de vista prorrogaram a análise.

A ministra Laurita Vaz, relatora do pedido do PROS, pediu vista regimental e informou ao plenário que trará seu voto-vista na próxima terça-feira (24/9).

Já no exame do registro do Partido Solidariedade, os ministros aprovaram pedido de vista do processo por 48 horas, apresentado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, ao relator do pedido da legenda em formação, ministro Henrique Neves.

No caso do Solidariedade há acusações de falsificação de assinaturas de apoio por parte de sindicatos ligados à Força Sindical e de sobreposição de fichas, o que pode ter inflado o número de signatários.

Com informações da Assessoria de Imprensa do TSE.