1/13/2014

Madeira destaca qualidade do ensino público de Imperatriz





Durante cerimônia, o prefeito desafiou os novos gestores escolares a avançarem ainda mais em qualidade.



Durante a solenidade de posse dos novos gestores de escolas municipais de Imperatriz, o prefeito Sebastião Madeira, acompanhado do secretário Zesiel Ribeiro (Educação), parabenizou os gestores escolares que foram escolhidos democraticamente pela comunidade. 

“Praticamente todos que concorreram foram reeleitos, exceto os que não quiseram participar. O reconhecimento da qualidade do ensino em nossas escolas está nessa escolha da pela continuidade do trabalho de vocês”, assinalou o prefeito.

Madeira reiterou que “o desafio do município é continuar fazendo o melhor possível pelas crianças e adolescentes, oferecendo ensino de qualidade nas escolas da rede municipal de Imperatriz”. “Dentro das condições que nós temos, nestes cinco anos tem sido feito tudo que é possível pela educação”, frisa.

Para ele, um dos parâmetros é verificar o fechamento das escolas particulares dos bairros, não por conta da economia franca, pelo contrário está é muito mais forte, mas em virtude do protagonismo da escola pública de Imperatriz. “O ensino público está cada vez mais eficiente em nossa cidade. Além disso, temos uma equipe competente na educação que dispõe hoje de uma das melhores sedes do Maranhão”, disse.

Madeira reconhece que “esse é um trabalho em conjunto, trabalho que não é feito apenas pelo prefeito e o secretário, mas por todos os servidores da educação, pois se trata de uma obra coletiva”. “Nós esperamos que a presidenta Dilma abra o coração, e não faça como no ano passado, cuja previsão de recursos era de R$ 100 milhões, mas chegou apenas R$ 95 milhões”, comentou.

Para esse ano, a previsão de repasse para o setor da educação de Imperatriz é de R$ 105 milhões, cuja expectativa do prefeito Sebastião Madeira e do secretário Zesiel Ribeiro é que seja consolidada no exercício de 2014. “Esse ano tivemos que cumprir a lei determinada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) para acrescentar mais um terço de despesa com pessoal naquelas 7 horas para completar às 20, sendo que, cada professor recebeu entre R$ 200,00 a R$ 400,00 mensalmente, chegando ao final do ano, a quantia de R$ 15 milhões de reais”, finalizou.