4/10/2014

Secretaria de Saúde inicia vacinação contra a gripe dia 22.

Abertura oficial da campanha de imunização contra a influenza será realizada na Casa do Idoso. A data inicial, prevista para o dia 14, foi remarcada em função do feriado da semana santa.

            A campanha de vacinação contra a gripe será realiza em Imperatriz entre os dias 22 de abril e 02 de maio, sendo que o "Dia D" de mobilização contra a doença - mutirão que busca vacinar o maior número de pessoas possível será dia 26 de abril. A quantidade de doses que Imperatriz receberá nesta edição da campanha ainda não foi confirmada, porém a coordenadora do Programa de Imunização do município, Socorro Ribeiro afirma que a estimativa é que sejam disponibilizadas mais de 42 mil doses.

            Segundo relatórios da SEMUA, cerca de 50 mil pessoas foram vacinadas aqui na cidade ano passado. “Após o cumprimento da meta proposta pelo Ministério da Saúde que foi 80% de cobertura para os grupos de riscos, nós disponibilizamos a vacina para a comunidade, o que fez com que vacinássemos essa quantidade de gente”, explicou Socorro Ribeiro, informando que esta semana está participando de uma reunião na Secretaria Estadual de Saúde, onde serão definidos todos os detalhes da campanha.

            A coordenadora informa ainda que “de acordo com as determinações do MS, os grupos prioritários a serem vacinados continuam os mesmos: Pessoas acima dos 60 anos, gestantes, puérperas (mulheres que deram a luz em até 45 dias), indígenas aldeados, profissionais da saúde e pessoas privadas de liberdade. Pessoas que sofrem de doenças crônicas (respiratórias, cardíacas, renais, imunodepressão, etc.) também poderão receber as doses sob prévia recomendação médica.

            “A novidade deste ano é a ampliação da faixa etária para crianças de seis meses a menores de cinco anos. No ano passado, o público infantil foi de seis meses a menores de dois anos”, ressalta Socorro. Segundo ela é importante destacar também que não deve tomar a vacina quem tem alergia à proteína do ovo. E que as pessoas com deficiência na produção de anticorpos, seja por problemas genéticos, imunodeficiência ou terapia imunossupressora, devem consultar o médico primeiro.
[Maria Almeida - ASCOM]