6/06/2014

À Câmara o que é da Câmara.

O processo de eleição da mesa diretora da Câmara Municipal de Imperatriz protagonizado pelo atual presidente, Hamilton Miranda e pelo vereador José Carlos Soares,  ambos membros da bancada de apoio à gestão municipal, pautou a crônica política da cidade nas últimas semanas. Miranda, aliado de longas datas de Sebastião Madeira e Zé Carlos,  líder do governo. 
Ontem, com plenário da Câmara lotado, ocorreu a eleição. E como era previsto Zé Carlos venceu o pleito.  É importante destacar que um dia antes, Hamilton Miranda subiu à Tribuna retirou sua candidatura e anunciou apoio ao seu, até então, opositor. E numa espécie de “mea culpa” destacou as qualidades de Zé Carlos e admitiu, em algumas entrevistas à imprensa,  equívocos na   estratégia para se reeleger.  Além disso, reconheceu erros no que se refere ao relacionamento com seus pares. Miranda, não só votou em José Carlos como recomendou aos votos tidos como certo (Roma e Buzuca) que os seguissem na decisão. Zé Carlos disputou a eleição com o vereador Carlos Hermes.
A Câmara Municipal de Imperatriz sai fortalecida desse processo como poder independente, da maneira correta.  Confesso “sem medo de ser feliz” sentir orgulho do parlamento da nossa cidade pela capacidade que teve de conduzir com  maturidade, uma questão interna do modo mais civilizado possível. 
Um detalhe pouco percebido, até pelo fato de ser incomum, é que  esse processo eleitoral  não teve nenhum tipo de ingerência  do Poder Executivo;  já   tinha sido assim na eleição anterior e continuou nessa. Nada de reuniões secretas, oferecimento de vantagens escusas  ou coisa parecida.  Se houve a ingerência de algum membro do Governo foi por conta e risco próprios.
O importante de tudo  é  que  afinal, em que pesem as pequenas ranhuras que ficam em quem perde, e isso é natural,  se impôs a prevalência da vontade da casa. Venceu quem “jogou o melhor jogo”, quem se articulou melhor, quem errou menos.
Se a casa vai ficar quieta com o fim desse processo, marcado por uma intensa movimentação de bastidores, ainda é cedo para um diagnóstico preciso, contudo, como expectador,  acredito que a Câmara Municipal  de Imperatriz, inicia um novo momento. Parabéns ao Hamilton Miranda, ao Zé Carlos pela forma republicana como se posicionaram durante todo esse processo.
O NÍVEL MELHOROU.
Saindo um pouco da questão da eleição da Mesa Diretora,  permito-me a avançar um pouco mais numa rápida análise da Câmara Municipal de Imperatriz. O  nível daquela casa  melhorou muito nos últimos anos.  Não  melhorou  mais  por causa da omissão de muitos, que ao invés de participar do processo político, preferem falar de quem nele está inserido. Sequer vão ás sessões, pelo menos uma vez por ano, para acompanhar  mais de perto o trabalho dos vereadores,  até para poder falar mal com propriedade.
Ali, a cidade está representada por lideranças comunitárias, professores, comerciantes, empresários, radialistas, lideres religiosos, e esportistas; cada um, ao seu modo, dando temporariamente um pouco de si e de seu tempo para a cidade. 
E não pensem que a atividade dos vereadores se limita aos três dias regimentais de reuniões.   Experimente como quem não quer nada, ir à casa de qualquer um deles. A qualquer hora do dia, noite e madrugada, tem sempre alguém ali a esperar.
 Mais do que cumprir com o papel constitucional de fiscalizar as ações do  poder executivo municipal, elaborar leis, e fazer indicações,   é no vereador que uma quantidade significativa de munícipes encontra, ou tenta encontrar, soluções para seus problemas  pontuais, seja uma conta de luz,  o gás que acabou, um medicamento,  um caixão, pedidos de emprego;  enfim,  de tudo um pouco.  Não deveria ser assim, contudo, é.  É desse modo aqui, ou em qualquer outra cidade do Brasil. O vereador é a espécime política que chega  mais perto do povo. E experimente este desviar a atenção dessa clientela para sentir na eleição seguinte o resultado.  Não era pra ser assim, mas é. Acompanho bem de perto o dia-a-dia da política local desde o final dos anos 1980 e posso afirmar que muita coisa mudou no legislativo municipal desde então. Com a melhoria do nível dos parlamentares melhorou também o nível dos debates.
Sob a presidência do vereador Hamilton Miranda, a Câmara Municipal de Imperatriz tem levado ao plenário questões relevantes para a cidade. As discussões têm sido sempre atuais e  de resultados. A casa tem conseguido se manter em sintonia com as instituições e a sociedade. Também tem mantido uma boa  relação com o Executivo. Essa relação, registre-se, tem sido de respeito mútuo, não havendo interferência nem de um nem do outro poder, vide o processo eleitoral interno que agora se encerra.  
O prefeito Madeira disse que espera continuar com essa relação harmoniosa com o Legislativo até o final do seu segundo mandato. Para ele a relação institucional marcada pelo respeito, harmonia e independência  é boa para cidade. Para  o prefeito  a  sociedade pode se orgulhar da câmara que elegeu em 2012.