8/21/2015

Campanha conscientiza comunidade sobre violência doméstica em Imperatriz



Da assessoria

Iniciativa da Igreja Adventista percorre diversos pontos da cidade orientando sobre o tema

Visando alertar à sociedade com relação ao abuso e à violência doméstica, a Igreja Adventista do Sétimo Dia vem trabalhando, desde o último dia 17, a campanha Quebrando o Silêncio. A iniciativa, que surgiu em 2002, tem como principal  intuito combater todas as formas de abuso por meio de ações na comunidade, levando informações à milhares de pessoas sobre o tema e ajudando aquelas que já foram vítimas desse tipo de violência.

Em Imperatriz, a campanha já esteve presente em bairros, escolas, hospitais e junto a autoridades, buscando principalmente apresentar soluções para a problemática. De acordo com a coordenadora da ação na cidade, Lucélia Santos, os números com relação a casos envolvendo esse tipo de abuso no Brasil e no mundo são alarmantes, e propostas como essa são necessárias para reverter a situação. “Nós temos visto muita violência, e a maioria das vítimas que sofrem isso tem uma tendência a se calarem. Então a igreja vem com essa iniciativa de orientar a população, pra quem sofre, denuncie, pra que falem”, explica.

Chamando atenção especialmente para o caso da pornografia, o projeto educativo realiza neste sábado (22), uma passeata pelas ruas de Imperatriz, onde haverá distribuição de material informativo, adulto e infantil, com dicas e orientações que surgem como uma forma de combater e prevenir esse tipo de coerção. A concentração deve acontecer em bairros como Nova Imperatriz e Cafeteira, com a presença do público de cidades vizinhas, como Governador Edson Lobão e Senador La Rocque.
Ainda no sábado, a partir das 15h, haverá também uma concentração no Imperial Shopping, com stand da igreja montado e ainda a presença de órgãos públicos ligados a proteção da criança e da mulher, além da participação de psicólogos, que devem atender gratuitamente a população que deseja ser orientada.
A campanha Quebrando o Silêncio, até 2013, já distribuiu mais de 5 milhões de revistas educativas  nos 8 países da América do Sul em que atua, como Chile e Equador.