10/09/2016

2016 acabou , 2018 começou


Acabou uma eleição, já é conhecido o novo prefeito da cidade, bem como  a nova composição da Câmara Municipal mas, é fato, os olhos já se voltam para 2018 e seus possíveis arranjos, principalmente para a disputa proporcional. 

No plano local, não é muito difícil imaginar alguns cenários, sobretudo,  no conjunto da disputa para a  Câmara dos Deputados e a Assembleia  Legislativa,  que tende a reunir o maior número de candidatos com domicilio eleitoral de sua história recente. 

Vejamos:

Ribinha Cunha (PSC), até para não perder o “time”, tem a opção de “dobrar " pra federal com o irmão, o deputado Léo Cunha. Numa certa lógica uma vez que tem  mais inserção regional do que o irmão, Léo pode trocar de posição: sair pra Federal e trazer Ribinha para estadual.


Clayton Noleto (PC do B), Já em campanha velada em todo o Maranhão  é um nome forte para a Câmara Federal e já começa a arregimentar apoios. Apesar das “ranhuras” advindas ainda do processo de escolha do candidato a prefeito , quando seu grupo trocou “ELE POR POR ELA”, deve fazer dobradinha com o deputado Marco Aurélio.

Ildon Marques (PSB) é uma incógnita para 2018,  mesmo assim,  é outro que pode sair para federal.  Se sair, deve fazer dobradinha com  o empresário Frederico  Ângelo, que foi seu candidato a vice.

Werverton Rocha (PDT), embora não tenha domicilio eleitoral em Imperatriz Rocha deve recompor e fortalecer sua base de apoio na cidade. Estava de olho numa das vagas para o Senado, mas num olhar de hoje deve adiar esse projeto e focar na reeleição. Pode fazer dobradinha com Rosângela Curado (PDT)

Madeira (PSDB) Deixa a Prefeitura consolidado como uma força política da cidade e ainda com forte inserção na região. Tem o projeto depois de, um ou dois meses de  descanso,  de viajar   o Maranhão de ponta a ponta; cidade por cidade, povoado por povoado  pra depois decidir se vai para o Senado {seu foco} ou se volta para disputar uma vaga de deputado federal. Se sair pra federal Madeira pode fazer dobradinha com advogado Daniel Souza ou com a professora Miriam Ribeiro.

“OS SEM GRUPO”

Sem grupo, mas com domicílio eleitoral em Imperatriz,  dois outros nomes fatalmente estarão na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados em 2018: Chiquinho Escórcio (PMDB), agora mais animado por ter um prefeito de seu partido na Prefeitura e  Davi Júnior (PR).

Outros nomes poderão surgir, mas com um olhar de hoje, já se pode afirmar que “nunca antes na história da cidade”  teremos tantos candidatos na disputa por  uma vaga para a Câmara Federal.