12/15/2016

Força Tarefa Rio Tocantins e alunos da Escola Graça Aranha realizam nesta quinta-feira visita de estudo na “região do Barranco”


Nesta quinta-feira, às 16 horas, os alunos da Escola Estadual Graça Aranha,  acompanhados dos ambientalistas da Força Tarefa Pelo Rio Tocantins, farão uma visita técnica  ao  setor da beira rio denominada “Barranco”. A visita de estudo e trabalho é o desdobramento de um conjunto de ações  desenvolvido pelo Núcleo de Educação Ambiental da Força Tarefa que, com isso tenciona aumentar a consciência dos estudantes quanto aos cuidados presentes e futuros com o Rio Tocantins, que em 2016 enfrentou a maior seca  dos últimos 50 anos.

Os detalhes da visita, que será seguida de uma roda de conversa com os alunos, foram acertados com a direção da escola na tarde da última terça-feira., ocasião em  foi possível pensar as próximas ações do grupo que pretende se firmar como Organização Não Governamental (ONG)  e agir em outras áreas relacionadas à preservação ambiental.

Conforme a  professora Ivetilde Delgado  a articulação do movimento, e todos do grupo que queiram participar desse “gesto concreto”   vai se  encontrar com os estudantes na própria escola, e de lá seguirá ao o ponto inicial da visita, as imediações do Edifício Mirante do Rio. “É importante, quem puder, levar máquina fotográfica ou mesmo o celular, para registrar detalhadamente os aspectos da visita”   recomenda a professora. 

Degradada- A área a ser visitada, até os 1980,  abrigava várias “cacimbas” , também chamadas de  “fontinhas” onde era comum as donas de casa recolherem água para abastecer potes, filtros e geladeiras  tomar banho  além de outras necessidades.   Com o avanço da ocupação urbana daquela região essa fonte de água potável desapareceu.

No mesmo setor a ser visitado pelos alunos do Graça Aranha com a Força Tarefa Rio Tocantins, na mesma década (1980)  os  “lajeiros”  da beira do rio também era o ponto de encontro  de dezenas de tracajás, espécie de quelônio típico das bacias hidrográficas do norte da América do Sul, e que  com o tempo foram banidas das barrancas do Rio Tocantins (Imperatriz) tanto pela pesca predatória quanto pelo avanço da poluição.

Depois da ação desta quinta-feira a Força Tarefa só volta a se reunir em Janeiro de 2017, para o planejamento e calendarização das  ações  a serem desenvolvidas ao longo do ano bem como a formalização de núcleos de estudos sobre diversos temas tais como:  Resíduos Sólidos,  A situação atual dos Riachos que cortam a cidade,  Os  influência ou impactos dos grandes projetos no Rio Tocantins, Clima, Legislação Ambiental, e  o Fim do Bioma Cerrado e suas consequências.