2/02/2017

“Maranhão do Sul” volta a ser tema de debate no Estado


Entidade  vai ser fundada em Imperatriz  para reerguer a bandeira pela criação do novo Estado

Integrado por jornalistas, professores, profissionais liberais e  líderes classistas surge mais um movimento de luta pela criação  do Maranhão do Sul, um desejo  dos maranhenses desse lado do Estado que já tem quase 200 anos e que agora  passará a ter a Associação Pelo Desenvolvimento da  Região Tocantina e do Mranhão do Sul- Adermasul-  como uma das  suas colunas. A primeira reunião de trabalho para o nascimento da entidade ocorreu na noite da última terça-feira, 31, na sala de reuniões  da Vieira Advogados.

Convocada pelo jornalista Josué Moura a primeira reunião contou com a presença do empresário e liderança maçônica Fernando Antunes, presidente do Comitê Pró- Maranhão do Sul, entidade que num tempo recente chegou a realizar vários eventos, no Maranhão e em  outros estados,  defendendo a causa. 

Além de Antunes, participaram da primeira reunião  os jornalistas  Elson Araújo e Domingos Cezar;  o  advogado Oziel Vieira,  o representante comercial George Marinho, o líder associativista Aluízio Melo,  a militante social Maria da Conceição Silva, o professor e ex-vereador Esmerahdson de Pinho, a  jornalista e professora Silvanete Gomes,  o administrador de empresas Cícero da Silva,  o presidente do Sindicatos dos  Radialistas e Jornalistas Josué Silva Aquino,  o fotografo José Nilton e a ex-secretária municipal da mulher  Conceição Formiga.

Antes de apresentar a pauta da reunião o jornalista Josué Moura antecipou que uma das críticas que certamente deve aparecer com o ressurgir dessa causa é que esta só reapareceria em “tempo de eleição” o que para ele é uma grande hipocrisia. Moura lembrou que o sentimento em torno da criação do Novo Estado existe há muito tempo. “Além do mais as eleições no País  acontecem a cada dois anos e a discussão do Maranhão do Sul  é  ser permanente”

Josué Moura esclareceu que embora o Maranhão do Sul seja a bandeira mestra dessa nova entidade constará ainda em seu  estatuto capítulos que apontarão para  outras causas  de interesse da população desse lado do Estado. Mencionou por exemplo, causas ligadas à saúde e cultura.
Como o Maranhão do Sul  é  a “mola mestra” da  Adermasul,  no encontro foi feito um resgate da história recente dos movimentos em torno  da  causa.


 “Os debates foram retomados em 2013, quando parlamentares maranhenses prometeram colocá-la em pauta no Congresso Nacional, mas não cumpriram a promessa” lembrou  o jornalista Josué Moura.


Uma informação ressaltada na reunião é que a Adermasul assim que formalizada deverá se juntar a outros movimentos similares  no País.  Contatos recentes já foram feitos com o Piauí, São Paulo e Minas Gerais, dai,  disse Josué a necessidade de uma entidade com força jurídica para  se juntar aos movimentos que lutam pelo mesmo ideal.  Pensamento também defendido pelo advogado Oziel Vieira que declarou que  há realmente a necessidade da  criação de uma entidade com força jurídica, caso contrário, não terá condições de alcançar os objetivos.

O jornalista Elson Araújo reforçou  o tema ao ressaltar  que a chama do Maranhão do Sul deve  reacender não de forma isolada, mas integrada com outros movimentos que lutam pela mesma causa caso contrário  não terá a força pretendida. Já o empresário Fernando Antunes parabenizou a iniciativa e ressaltou que o Comitê Pró Maranhão do Sul passou um tempo adormecido, mas que basta apenas alguns sopros para reacendê-lo.

O advogado Oziel Vieira, defendeu a criação de uma entidade com força jurídica, caso contrário, não terá condições de alcançar os objetivos.

Vencida a pauta o primeiro encontro as lideranças ali presentes  estabeleceram um prazo de 15 dias,  a contar daquela data,  para a realização da Assembleia Geral de  fundação da Associação.  O edital de convocação deve ser publicado nesta quinta-feira. ( Assessoria)