6/14/2017

Na Câmara Municipal, Grupo Força Tarefa Rio Tocantins e a Comissão do Meio Ambiente debatem hoje “Qualidade das Águas


Começa hoje pela Câmara Municipal  a sequência de encontros que o Grupo Força Tarefa Rio Tocantins fará sobre as “aguas da cidade”.  Este primeiro encontro tem o apoio da  presidência do parlamento municipal por intermédio da Comissão de Planejamento, uso, ocupação, parcelamento do solo e meio ambiente, a quem caberá  a condução da sessão ordinária desta quarta-feira,14,  logo após esta ser aberta pelo presidente José Carlos Soares (PV)
No início da semana o vice-presidente da Comissão,  vereador Ditola  Castro (PEN) reuniu-se com membros do Força Tarefa para definir os detalhes do encontro. “Essa é uma preocupação que não é só do grupo, mas  também desta casa e, porque não dizer,  de toda a cidade; por isso tem nosso total apoio”  ressaltou o parlamentar.
A sequência de encontros sobre o tema que será realizado pelo Grupo Força Tarefa tem como eixo “Conhecer as águas para saber cuidar do rio”.  No evento de hoje  o professor da Uemasul  Jorge Diniz, que é doutor   em química,  falará sobre a “Qualidade das águas:  efluentes urbanos tóxicos, medidas preventivas e/ou (re) equilibradoras, ribeiras, usos e vegetação, filtros, fossas , entre outros assuntos que o tempo permitir.

O professor Diniz dividirá parte do seminário com o ambientalista  José Geraldo da Costa, que além de moderar as discussões fará uma introdução sobre a  “Formação dos Recurso Hídricos: atmosfera, dinâmica dos climas/ aquíferos, cursos e biota fluvial.  O evento  começa às 8h30 da manhã.  
Essa ação do Força Tarefa, explica a ex-juíza  de direito Maria das Graças Souza  parte do princípio que para o enfrentamento de qualquer problema é preciso, num primeiro momento, conhecê-lo e daí  elaborar as  ações e gestos concretos.


A Origem



O Grupo Força Tarefa Rio Tocantins surgiu ainda no ano passado motivado pela visualização de uma situação nunca vista antes: a maior baixa das águas que o Rio Tocantins já teve a ponto de um ribeirinho ter conseguido chegar a cavalo até a famosa Praia do Meio.  A partir dai se tornaram  frequentes os encontros  dos  representantes dos mais diversos  segmentos da sociedade para discutir caminhos  e possíveis ações que possam estancar as agressões sofridas pelo Rio Tocantins diariamente.

Moradores da “cidade velha”  garantem que o   mais perto do que aconteceu em 2016 tem  registro em 1967.  A diferença é que naquele tempo não tinha tanto a influência do homem quanto agora,  mão essa visível  na transformação de seus afluentes em “canais de esgoto”, na devastação da vegetação ciliar,  na derrama, sem tratamento, de parte do esgoto das cidades ribeirinhas, na transformação de suas margens em verdadeiros lixeiros.

O  colegiado do Grupo Força Tarefa revela que a meta,  é ir além do diagnóstico e partir para gestos concretos, incluindo, seminários como o de hoje na Câmara Municipal;   campanhas de conscientização,  mutirões de limpeza e  replantio de espécimes nativas,    até mesmo, se for caso,  a provocação da Justiça para fazer valer ações que redundem na  preservação e recuperação de nascentes,  o replantio da vegetação ciliar dos cursos d`água ( incluindo o rio) que cortam a cidade.

“ Esperamos contar com a presença expressiva daqueles que se preocupam com o nosso meio ambiente  e com as gerações futuras”   disse a professora Edna Ventura membro fundadora do movimento.

“Serão temas que consideramos fundamentais,  e o primeiro passo  a ser dado é esse , o de  conhecer  para saber cuidar melhor” assinalou a bióloga Adriana Carvalho, também membro do Grupo Força Tarefa.

Depois da Câmara o projeto do grupo é levar a discursão para ambientes como faculdades, associações, clubes de serviço, empresas “enfim, queremos envolver toda a sociedade ao redor de um tema que é de interesse de todos”  ressalta a professora Ivetilde Delgado,  da organização do evento (Elson Araújo)