7/28/2017

Empreendedorismo: Peixaria Santa Tereza, uma história de sucesso

  
“O sucesso consiste em antecipar uma tendência de mercado e começar a praticá-la imediatamente” (Carlos Wizard)

O mega empresário Carlos Wizard  costuma dizer nas suas palestras que “o sucesso acontece quando a preparação encontra a oportunidade”. No caso concreto  do paraense Gaspar Carvalho de Sousa, que desde os seis meses de vida mora em Imperatriz, pode se  acrescentar  ainda  a coragem,  a persistência o acreditar em si, e ainda o espirito empreendedor;  ingredientes que usou para transformar a Peixaria Santa Tereza numa das  melhores e mais frequentadas da cidade.

Quem passa pela Avenida Santa Tereza e observa os jogos de mesa da  peixaria ocupados por famílias inteiras nem imagina os caminhos percorridos pelo empresário Gaspar Carvalho até acertar num negócio que pudesse,  ao lado da esposa Simone Maia, prosseguir mantendo com dignidade a família formada ainda pelos filhos João Felipe, estudante de engenharia e  Gaspar Filho,  um dos seus braços na condução do negócio.

Gaspar faz questão de ressaltar o papel da mulher Simone no negócio da família. “Além de ajudar a constituir e a comandar o restaurante ela supervisiona a equipe da cozinha e é a responsável direta pelo nosso tão apreciado tempero”  conta o empresário.

A Peixaria Santa Tereza nasceu em Outubro de 2009 depois de uma experiência não muita bem sucedida de Gaspar no comércio de material elétrico. Antes da primeira experiência como empresário ele chegou a trabalhar como empregado. Primeiro  na Cemar  por um período de 27 anos. Naquela companhia entrou como eletricista e saiu voluntariamente quando já ocupava um  cargo de chefia.

“No dia seguinte ao meu pedido de demissão eu já estava num outro emprego, sendo que depois  de dois  anos e sete meses  voltei a pedir demissão  para abrir minha própria loja com  ajuda de minha  irmã Ivanete,  que mora nos Estados Unidos. Nascia então, a Elétrica Clarão” relembra

O hoje o  dono da bem sucedida Peixaria Santa Tereza conta que a principio alugou um ponto na Avenida Getúlio Vargas, mas o negócio não prosperou como devia e acabou se  transferindo  para um imóvel próprio na  Avenida  Santa Tereza.  Ele conta ainda que naquela ocasião os negócios não iam bem e,  a  coisa só apertava. Se complicou  mais ainda depois que a irmã que o ajudara  antes  enfrentara uma crise  a ponto de precisar dele  financeiramente “ Sem alternativa cheguei  a pôr à venda o imóvel onde funcionava a loja. Foi quando surgiu a ideia de vender peixe assado na brasa”  conta.

A multiplicação dos peixes
  


Um sobrinho de Gaspar chamado Valtinho,  dono de uma pequena criação de peixe,  diante da aflição  do tio  foi quem  deu a ideia: usar durante a noite a calçada da loja de material elétrico para vender peixe assado. Surgia ali o negócio que fez com que o empresário desse  a volta por cima e saísse da crise.

 “Começamos com quatro peixes, três jogos de mesa e uma  velha churrasqueira.  No primeiro dia, vendemos duas peças e comi  com a família os dois que sobraram.  No dia seguinte,  assei seis; vendi quatro e chamei os vizinhos para comer os dois que sobraram”

Gaspar se agarrou intensamente ao negócio e envolveu toda família. Com  muita garra coragem determinação e qualidade no que oferecia, o sucesso não demorou a chegar.  Dos quatro peixes iniciais  ele chegou a um pico de cem peças por noite.  Da calçada as mesas, que já tinham triplicado, passaram a dividir espaço com  o que ainda restava da mercadoria da loja de material elétrico. Também teve que fazer contratações para atender a demanda.

Outro aspecto que Gaspar Carvalho não desprezou foi o preparo para tocar adequadamente o negócio e por isso procurou o Sebrae onde fez vários cursos na área empresarial o que segundo ele, foi fundamental para a condução do negócio.

Nove anos se passaram.  A loja de material elétrico  para Gaspar,  que hoje é só uma lembrança de uma um tempo difícil,  deu lugar  à conceituada  Peixaria Santa Tereza  que já chegou a ter 16 funcionários registrados.

O peixe assado ,  conta o orgulhoso o empreendedor, continua sendo “o carro chefe do negócio, mas os pratos se diversificaram.  Hoje, diz ele,  o cliente conta também com o  peixe frito, a  caldeirada, e outros pratos para atender a clientela,  que só tem crescido.

“Oferecemos um produto de qualidade com um preço justo. Quem vem, e prova dos  nossos pratos sempre volta” garante o empreendedor.